Ovinopar fecha parceria com universidades para analisar a cadeia produtiva da carne ovina no Paraná

Para tanto, será utilizado um método de planejamento estratégico que engloba a análise de cenários para tomada de decisões, observando-se quatro fatores: forças, oportunidades, fraquezas e ameaças

Visando contribuir com o desenvolvimento da ovinocultura paranaense e obter melhores informações sobre a realidade do setor, a Ovinopar – Associação Paranaense de Criadores de Ovinos – fechou uma parceria importante com algumas universidades do estado. O objetivo é, através de uma análise precisa da cadeia produtiva da carne ovina no Paraná, pensar e planejar projetos de extensão e fomento que venham de encontro com as reais necessidades da classe.

Portanto, esse estudo será feito através da Análise SWOT (FOFA), um método de planejamento estratégico que engloba a análise de cenários para tomada de decisões, observando-se quatro fatores: forças, oportunidades, fraquezas e ameaças. Esse trabalho será realizado sob a coordenação de Luiz Gonzaga Pego de Macedo, zootecnista, inspetor técnico da ARCO – Associação Brasileira de Criadores de Ovinos , e professor da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), de Guarapuava/PR.

Além dele, participarão do projeto mais 14 professores de universidades do Paraná, entre elas: Universidade Estadual de Maringá (UEM), bem como o campus Umuarama; Universidade Estadual de Londrina (UEL); Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP); Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG); Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) – campus Marechal Cândido Rondon; Universidade Federal do Paraná, em Curitiba; PUC Curitiba; Universidade Norte do Paraná (UNOPAR); Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), e Universidade Positivo (Curitiba).

Dessa forma, para viabilizar a gestão dos trabalhos criou-se o Grupo Universitário de Apoio, Pesquisa e Extensão em Ovinocultura do Paraná (GUAPEO-PR), que terá o Professor Macedo na coordenação. A ideia é que o grupo seja agora permanente para outras ações futuras envolvendo estudos para o setor.

“Estamos diante de um grande desafio, mas acreditamos que é possível avançarmos e viabilizarmos uma ovinocultura enquanto negócio sustentável”, frisa o presidente da Ovinopar, Pedro Rocha. “Entendemos enquanto Associação representativa dos produtores de ovinos do Paraná que não se faz planejamento com sucesso sem ouvir a opinião e informações qualificadas a partir daqueles que realmente são a parte interessada e provavelmente os principais beneficiários dos resultados a partir desta visão. Por isso, resolvemos buscar parcerias para assumir este desafio para que juntos consigamos atingir o objetivo de uma ovinocultura sustentável”.

Antes de mais nada vale destacar também que a Ovinopar está interagindo com vários órgãos a fim de evoluir na construção desta proposta. Entre eles, o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR), Federação da Agricultura e Serviço de Nacional de Aprendizagem Rural (FAEP/SENAR), Serviço Brasileiro de apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), bem como outras universidades estaduais, federais e privadas, dentre outras interações.

Como vai funcionar o estudo?

Como citado anteriormente, a metodologia que será adotada pelo GUAPEO-PR será a Análise de SWOT, que visa identificar e compreender os pontos fortes e fracos internamente, e as oportunidades e ameaças externas. Assim, a partir da interpretação das informações a Ovinopar poderá tomar decisões com maior probabilidade de acertos.

Para isso, os professores envolvidos no projeto elaborarão um questionário, que será enviado aos produtores rurais. Após a obtenção das respostas, serão analisados pela equipe do GUAPEO-PR. Os resultados serão apresentados e discutidos com a Ovinopar, e demais parceiros do projeto para planejamento de ações que possam reduzir os pontos fracos, ameaças e otimizar os pontos fortes e oportunidades.

“Desde já queremos pedir e contar com a colaboração de todos produtores rurais envolvidos com a ovinocultura e agradecer os parceiros envolvidos até então e dizer que o desafio é grande e estamos abertos a novas parcerias e contribuições. Pois haverá oportunidade e necessidade da participação de todos durante o desenvolvimento do projeto”, finaliza Pedro Rocha.

Por Natália de Oliveira/Assessoria de Imprensa Agrovenki
Crédito da foto: Divulgação/Ovinopar

Leia outras notícias no site da Ovinopar

Ir ao Topo